sábado, janeiro 28, 2006

Na próxima quarta-feira, vamos estar presentes na reunião pública do executivo da Junta de Freguesia de Santo Condestável

Cinema Europa vai ser demolido
A CÂMARA DE LISBOA DECIDE-SE PELO IMOBILIÁRIO


O movimento de cidadãos SOS Cinema Europa acaba de ser surpreendido pela notícia da demolição do edifício, no bairro de Campo de Ourique em Lisboa, para ali ser construído um bloco de apartamentos. Um ano depois de iniciada a luta pela preservação daquele espaço e sua reutilização para servir a população, a CML decide autorizar a demolição, que foi contestada num abaixo-assinado subscrito por mais de 2 mil pessoas. O novo executivo da CML ignorou o documento enviado por este movimento de cidadãos, onde se detalhava um projecto para o Europa, com a criação de uma biblioteca / centro multimedia, auditório e salas de exposições. O novo executivo da CML deixou sem resposta um pedido de reunião feito pelos elementos do SOS Europa, na sequência da posse do novo presidente, para discutir todos os contornos daquela proposta. O novo executivo da CML confirmou que os sinais de entusiasmo político durante a campanha eleitoral e as promessas aí anunciadas não eram para levar a sério.

De acordo com a notícia do Público de 28 de Janeiro, a CML chegou a acordo com o proprietário, para que o projecto do novo imóvel contemple “um equipamento cultural vocacionado para o público infanto-juvenil”, referindo que “o Teatro Infantil de Lisboa (...) é uma das entidades candidatas a poder fixar-se no futuro espaço.” Este é um facto que, a confirmar-se, poderá ser positivo para a população do bairro e da cidade mas que apenas contempla uma das vertentes de um projecto que podia (e devia ) ser mais abrangente.

Na mesma notícia, o vereador da Cultura da CML refere que há uma ideia “ainda em estado embrionário” para permutar o antigo cinema Paris (localizado junto ao Jardim da Estrela) para ali criar “um pólo cultural com múltiplas valências”. No entanto, como sabemos, e ao contrário do Europa, o antigo cinema Paris está à beira da derrocada, sendo inevitável a sua demolição. Qualquer projecto para aquele espaço implica a construção de um novo edifício de raíz, o que implica um avultado investimento. Ora, sendo os “elevados custos de reabilitação”, o motivo invocado para autorizar a demolição do Europa, não se entende a promessa, a não ser como uma tentativa de adoçar a boca de quem protesta.

Em resumo, na nossa opinião, a Câmara Municipal de Lisboa decidiu-se pelo imobiliário, frustrando as expectativas de uma larga fatia da população, que acredita que o futuro da cidade não tem de ser, necessariamente, um condomínio fechado mas sim um futuro que passe pela criação de espaços culturais e cívicos de proximidade, gerando o debate, promovendo as trocas e a inclusão.

Na próxima quarta-feira, elementos do SOS Cinema Europa vão estar presentes na reunião pública do executivo da Junta de Freguesia de Santo Condestável, onde vão questionar o executivo sobre estes desenvolvimentos.



===============
JUNTE-SE AO PROTESTO!

1 comentário:

vaoroubarpraestrada disse...

Na Câmara estão desenfreados a demolir. a lista de apoio ao Carmona era constituida por todos os que tinham interesses imobiliàrios. Os cidadãos têm que se mobilizar e fazer coisas, contando com a imprensa como poder de pressão.Contem comigo e mobilizem as pessoas de forma criativa e concreta