quarta-feira, março 16, 2005

SOLIDARIEDADE NA BLOGOSFERA (IV)

Hoje destacamos algumas propostas partilhadas pelo Topografias e um e-mail devidamente identificado recebido no sábado.

Tomei conhecimento, pelo telejornal, da existência de um abaixo-assinado contra a demolição do Cinema Europa. Tendo crescido na Estrela e visto muitos filmes no Europa, não poderia ficar indiferente.
Desloquei-me de Oeiras a Campo d’Ourique mas não consegui saber onde se encontravam as listas para assinar. Sugiro que distribuam listas pelos comerciantes da zona, para que cada um seja um potencial ponto de recolha de assinaturas.
Gostaria de saber onde posso assinar e, melhor, recolher uma petição para angariar assinaturas e saber local e prazo para a devolver; eventualmente, poderiam enviá-la por e-mail. Sugiro ainda que disponibilizem a petição on-line, com a informação do local e prazo para a sua entrega.
Fazendo votos pela recuperação do Europa, apresento os meus melhores cumprimentos


A recolha de assinaturas é possível na Junta de Freguesia de Santo Condestável, por lojas do bairro (nomeadamente a Barata e a Ler), também pelo contacto directo aos sábados de manhã junto ao mercado de Campo d’Ourique e nos finais de tarde.

Destaque ainda para mais uma das fotografias de Manuel Padilha.



JUNTE-SE AO PROTESTO!

4 comentários:

Graza disse...

Foram horas a exibição de Lawrence d'Arábia, não havia garrafinhas de àgua como hoje, nem intervalo, havia areia, sede, camelos, calor.
A surpresa veio à saída: era noite, e estranhamente, fazia frio...
Lembro-me como se fosse hoje.

CIDADANIA LX disse...

As fotos que apresentam confirmam o que aqui deixei há tempos: o Cinema Europa não tem qualidade para ser classificado pelo IPPAR, nem tem características que o possam tornar "a" sala de cultura de Campo de Ourique. O actual Europa há muito que deixou de ser o outro Europa, hoje, mais não era do que uma sala de ensaios e estúdio de gravações.

Por isso, continuo sem perceber a razão de ser desta manifestação, quando ali ao lado existe o Paris, que além de ser uma sala com muito maiores potencialidades, além de ter sido objecto formal de proposta de expropriação por parte da CML, em Junho de 2004, e de ter um projecto de utilização cultural de grande nível, quer para a zona quer para o edifício, é um cinema que, apesar de ter sido esventrado e vandalizado durante mais de 20 anos, mantém a sua beleza original, o seu pé direito único e todas as características que fazem dele "a" sala por excelência de toda essa zona, a começar por Campo de Ourique, mas que abrange também a Lapa e não só.

Por outro lado, continuo sem perceber como este movimento pelo Europa começa por defender a sua classificação pelo IPPAR, e depois afirma-se satisfeito por a CML anunciar um silo automóvel para lá, desde que deixe uma área para eventos culturais. Por favor, indiquem-me a lógica de tudo isto, que continuo a não entender.

Paulo Ferrero

Tiago P. disse...

Creio que o mais importante não será tanto a preservação da qualidade arquitectónica do edifício, mas antes a sua função/recuperação no seio do bairro.

Concordo que o Paris é uma sala com grande potencial, que não se deveria perder, mas não sei se a compararia ao Europa.

Para campo de ourique, a localização desta sala é absolutamente ímpar. Se dinamizado culturalmente pela Junta de Freguesia (ou outra entuidade) com Teatro, exposições e ciclos de cinema, por exemplo, creio que a adesão dos moradores (e não só) seria positiva.

O silo parece-me uma boa solução ao nível da rentabilização do espaço. Isto independentemente do facto de tal obra implicar ou não alterações na fachada.

Cumprimentos,
Tiago Pedroso
http://o-manancial-da-noite.weblog.com.pt/

CIDADANIA LX disse...

Bom, mas então o Europa que defendem é meio-silo, meio-espaço de exposições/cinema/teatro? Mas isso nada é senão outra coisa, mas não o Europa, não vos parece?

Mais, então, a classificação do imóvel já não é precisa, é isso? A menos que queiram classificar o baixo-relevo da fachada, que é a única coisa que interessa em todo o edifício.

E um silo como rentabilização do investimento da CML no Europa? Não dá a bota com perdigota. Acho.

Juntem-se mas é todos à volta do Paris, que mais vale um pássaro na mão do que dois a voar.

Paulo Ferrero